Banner Página Inicial

Divulgação

  • Divulgação3
  • AgresteLogo
  • RWEP

A danação da história e a disputa pelo futuro

Escrito por master.

Fiori e o futuroPor José Luís Fiori
https://www.cartamaior.com.br/

Depois de 1940, a Argentina entrou num processo entrópico de divisão social e crise política crônica, ao não conseguir se unir em torno de uma nova estratégia de desenvolvimento, adequada ao contexto geopolítico e econômico criado pelo fim da Segunda Guerra Mundial, pelo declínio da Inglaterra, e pela supremacia mundial dos Estados Unidos.
J.L.F.História, estratégia e desenvolvimento.Petrópolis: Editora Vozes, 2014, p. 272


Existe uma pergunta angustiante que está parada no ar: o que passará com o Brasil quando a população perceber que a economia brasileira colapsou e que o programa econômico deste governo não tem a menor possibilidade de recolocar o país na rota do crescimento? Com ou sem reforma da Previdência, qualquer que seja ela, mesmo a proposta pelo Sr. Guedes. E o que ocorrerá depois disso?

A urgência da filosofia: sobre a necessidade de mudar o mundo

Escrito por master.

Salvador DaliMarcia Tiburi
https://revistacult.uol.com.br/

Embora falar de filosofia tenha sido para mim sempre uma alegria – e das maiores alegrias -, confesso que considero um pouco triste ter que, mais uma vez, falar da sua urgência depois de ter passado a vida clamando por essa urgência, de ter ensinado e aprendido filosofia por mais de 25 anos, depois de ter lido tantos pensadores e pensadoras que em seus contextos sempre defenderam a filosofia como uma forma de mudar o mundo e perceber que, agora, mais uma ver, vamos ter que começar do zero.

Comecemos do zero. Talvez essa seja a maior virtude do que chamamos de filosofia, a paciência de recomeçar. Recomeçar o árduo trabalho do conceito, o árduo trabalho do entendimento, da razão e de sua crítica, da compreensão das coisas que mudam a nossa sensibilidade.

Que a filosofia possa mudar o mundo não é um exagero retórico. A urgência da filosofia tem a ver com essa possibilidade contra a qual tantos lutam hoje. Quando o presidente do Brasil, conhecido pela expressividade do caráter precário de sua condição cognitiva, ameaça a filosofia, ele está sobretudo manifestando o grande medo dos autoritários, a saber, que o povo humilhado e enganado aprenda a pensar.

Sobre museus, doações… e elites, no Brasil e na França, por Sérgio Guedes Reis

Escrito por master.

MuseusUma forma de compreender, portanto, como as elites em um dado país atuam em sua função dirigente em sentido amplo é ver como elas lidam com os museus.

por Sérgio Guedes Reis
https://jornalggn.com.br/

Os museus exercem uma função no mínimo ambígua nas sociedades modernas. Eles representam, por um lado, a consagração da “invenção das tradições”, como na expressão do historiador Eric Hobsbawm: eles aglutinam produções culturais e lhes validam como elementos capazes de formar identidades – obras que simbolizam nações, ou projetos de civilização, ou conceitos fundamentais e valores, ou modalidades de expressão artística. Por vezes, museus abrigam inclusive pilhagens, bens surrupiados em guerras ou contrabandeados por mercadores em tempos (nem tão) imemoriais. Mas museus são, também, fontes essenciais de conhecimento e de resistência. São ferramentas poderosas que podemos ter ou usar para nos lembrarmos do que é (intencionalmente ou não) esquecido ou apagado da memória popular. Museus são tecnologias em disputa.

A grande mentira sobre a eficiência das escolas militarizadas, por Rogério Maestri

Escrito por master.

 

Escola militarOs problemas das escolas militarizadas não são os uniformes ou as possíveis tentativas de manipulação ideológica. Os problemas são de aspectos anticonstitucionais e antirrepublicanos dos métodos de admissão

Por Rogério Maestri
https://jornalggn.com.br/

Muitas pessoas fascinadas pela ordem e disciplina que existem nas escolas militarizadas, fazem uma ligação direta e espúria entre as características de lei e ordem a uma maior eficiência no rendimento escolar. Esta visão, como procurarei demonstrar neste texto, é completamente equivocada produzida por uma falsa ligação entre a ordem e disciplina e rendimento escolar medido por exames de vestibulares ou outros instrumentos de aferição de desempenho para alunos de segundo grau.

Há um primarismo na análise dos pais de adolescentes que vendo bons desempenhos a alunos egressos de escolas militarizadas, numa pobreza de análise fazem uma relação causa efeito entre a rigidez aparente em escolas militarizadas a um melhor desempenho escolar.

Em defesa da filosofia

Escrito por master.

Filosofiapor Maurício Abdalla

https://diplomatique.org.br/

Imagem por Hey Paul Studios

A Filosofia tem sofrido golpes fatais. Querem-na fora das escolas e das universidades, monopolizada por pseudofilósofos com agendas fundamentalistas e de extrema direita, com reflexões rasas e associações falsas de ideias.

A Filosofia não se identifica com nenhuma das tantas profissões e saberes específicos que se formam nos cursos superiores. Quem se forma em Filosofia não recebe uma capacitação prática e técnica. Formar-se em Filosofia é ser introduzido no mundo da razão com a missão de fazer dela o seu instrumento de vida e trabalho, sem, obviamente fechar-se a outras dimensões da vida e às outras faculdades que caracterizam a essência multidimensional do ser humano. Em realidade, a razão só cumpre corretamente sua função quando é compreendida como uma parte em interação sistêmica dentro de uma totalidade que é o ser humano, que, por sua vez, é parte de uma totalidade sistêmica que é o próprio universo.