Banner Página Inicial

Divulgação

  • Divulgação2
  • RWEP
  • Divulgação3

EDUCAÇÃO - Unila: por uma integração dos povos latinocaribenhos

Escrito por master.

UnilaA Unila nasce deste entroncamento entre a crise estrutural do neoliberalismo e o protagonismo de novos atores em cena na política regional, a partir das lutas sociais e políticas que delimitaram a chegada no poder de líderes sociais indígenas, sindicais e de movimentos sociais. Deste entroncamento fica explícito que a Unila aparecia como resposta política à histórica desigualdade estrutural da região, capitaneada pelo subimperialismo brasileiro no continente.

Por: Roberta Traspadini e Karen Honório
diplomatique.org.br/

Imperialismo e subimperialismo

Em 1917, Lênin explicitou com muita sagacidade a transição do capitalismo concorrencial para o monopolista. Uma fase superior à anterior, mais intensa de concentração e centralização do capital, com expressiva reconfiguração das relações econômicas internacionais.

Pós-capitalismo: a dimensão sensível

Escrito por master.

SensívelQualquer projeto político precisa propor, também, outros modos de sentir e desejar. Como superar a competição perpétua, acumulação obsessiva e banalização dos afetos que caracterizam o neoliberalismo?

Por Amador Fernández-Savater | Tradução: Inês Castilho | Imagem: Henri Cartier-Bresson
http://outraspalavras.net/

Nos anos 70, o cineasta italiano Pier Paolo Pasolini propôs pensar o conflito político como uma disputa fundamentalmente antropológica: entre diferentes modos de ser, sensibilidades, ideias de felicidade. Uma força política não é nada (não tem nenhuma força) se não se enraiza em um “mundo” que rivalize com o dominante em termos de formas de vida desejáveis.

Enquanto os “homens políticos” de seu tempo (dirigentes de partido, militantes de vanguarda, teóricos críticos) miravam o poder estatal como o lugar privilegiado para a transformação social (toma-se o poder e muda-se a sociedade a partir de cima), Pasolini advertia – com sensibilidade poética, isto é, sismográfica – que o capitalismo estava avançando mediante um processo de “homologação cultural” que arruinava os “outros mundos” (campesinos, proletários, subproletários), contagiando os valores e modelos de consumo “horizontalmente”: através da moda, da publicidade, da informação, da televisão, da cultura de massas etc. O novo poder não emana, irradia ou desce de um lugar central, antes se propaga “indiretamente, na vivência, no existencial, no concreto”, dizia Pasolini.

O 'anarquismo' pode ajudar a salvar o mundo

Escrito por master.

Anarquismohttp://port.pravda.ru/

O 'anarquismo' pode ajudar a salvar o mundo

O socialismo estatal fracassou, e também o mercado. Precisamos redescobrir o pensador anarquista Peter Kropotkin. O artigo é de David Priestland, publicado por The Guardian, 03-07- 2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Eis o artigo.

A peregrinação tarde da noite de Ed Miliband ao apartamento de Russell Brand, dias antes da eleição passada, foi interpretada por apoiadores como uma tentativa sagaz pelo voto dos jovens, e pelos críticos foi vista como uma tentativa embaraçosa de se aproveitar do carisma do Messias de Shoreditch [personagem de Brand]. No entanto, nenhuma dessas duas visões captura o significado real como um sinal da fraqueza profunda da democracia social convencional e seus esforços desesperados em cooptar as energias do elemento mais dinâmico da esquerda atual: o anarquismo. Com sua ânsia em ridicularizar as "divagações" de Brand, os comentadores ignoram a forte identificação dele com a tradição anarquista-esquerdista. Pois, entre os trabalhos que o comediante recomenda a seus seguidores está uma coleção de escritos por uma outra figura carismática que, por vezes, morou em Londres, o pai do comunismo anarquista: o príncipe Peter Kropotkin.

As novas e velhas máscaras da terceirização no capitalismo contemporâneo

Escrito por master.

TerceirizaçãoFoto: Stefano Ferrario

por Christian Duarte e Carlos Salas

Do Cesit/Unicamp
http://jornalggn.com.br/

As novas e velhas máscaras da terceirização no capitalismo contemporâneo

Introdução

Em artigo recente do Wall Street Journal (2 de fevereiro de 2017), intitulado “O fim dos empregados”, se encontra a declaração de um diretor da empresa Virgin Airways feita em uma reunião com investidores em março de 2016: “vamos terceirizar cada um dos postos de trabalho que conseguirmos, sempre que estes não se relacionem com o tratamento direto com o público”. Em dezembro de 2016, quando a terceirização já se havia generalizado, a empresa foi vendida. Hoje, a Virgin Airways terceiriza a venda de passagens aéreas, o manejo das bagagens, as reparações maiores e a alimentação nos voos, o que se traduz em maiores lucros por passageiro que a média das companhias aéreas.

Enquanto os EUA correm para o abismo o mundo tenta se salvar

Escrito por master.

NC"A mudança para o neoliberalismo fez com que decisões da arena pública fossem transferidas para o mercado", diz Noam Chomsky em entrevista ao Russia Today

Russia Today
http://www.cartamaior.com.br/

"Nós estamos indo na direção de um penhasco e o pior penhasco para o qual estamos nos encaminhando é símbolo dos sistemas de mercado, " observa Noam Chomsky durante a entrevista que concedeu ao jornalista Chris Hedges, do programa On Contact, na sua sala do MIT – o Massachussets Institute of Tecnology - onde ele, aos 88 anos de idade, continua dando aulas como professor emérito. Os dois rastrearam a história do neoliberalismo que vem sendo aplicado desde as suas origens, na década de 1970, tanto à esquerda como à direita, até a atual era de Donald Trump.